História

O primeiro documento oficial que se conhece a respeito do povoamento dos Açores é a citada Carta Régia de 2 de Julho de 1439.

Aí diz que o Infante D. Henrique, 1º donatário dos Açores, tinha licença para providenciar o povoamento humano das 7 ilhas dos Açores, e como alguns documentos indicam, concedendo regalias aos primeiros colonos. Eram 7 ilhas porque só mais tarde se descobriu as ilhas das Flores e do Corvo, em 1452.

Nestes primeiros tempos, nos Açores, terão participado no povoamento mouros e judeus. Durante o passar dos séculos, foram aparecendo italianos, castelhanos, franceses, ingleses, escoceses e norte- americanos.

No tempo de Gonçalo Velho, a ilha de S. Miguel foi povoada por famílias da Estremadura, Alto Alentejo e do Algarve.

Quando Gonçalo Velho faleceu ficou seu sobrinho João Soares Albergaria que se viu forçado a "vender" a capitania de S. Miguel a Rui Gonçalves da Camâra em 1474 e assim vieram para São Miguel muitas famílias madeirenses com um bom desenvolvimento social e económico.

Quanto à data em que se estabeleceram os primeiros povoadores no Porto Formoso crê-se que deve ser anterior ao ano de 1509 e talvez mesmo no final do século XV, porque na "História das Igrejas e Ermidas dos Açores" se diz que o Pedro Vaz Pacheco, escudeiro em seu testamento de 2 de Junho de 1509 mandou fazer nesta igreja, a capela de Bom Jesus com crucifixo e retábulo de Nossa Senhora para sepultura dos seus herdeiros.

Sobre os seus primitivos moradores e as actividades que exerciam, Gaspar Frutuoso em "Saudades da Terra" diz-nos que neste lugar moravam os "Pachecos", nobre e antiga geração.

Adiante, junto ao mar tinha a ponte do Porto Formoso onde Pedro Vaz que ali morou, com a qual acaba a baía. Há um lugar da Ribeira Seca que pertencia a um homem chamado Mateus Vaz assim como os 3 ilhéus. Quase nela está a Ribeira do Limo, chamada assim por criar muitos limos, onde havia um moinho para que os moradores do Porto Formoso moessem o milho e o trigo.










Hoje
Porto Formoso
°